• youtube
  • 24946058

CONHEÇA
Bodoquena

História do Município

Atendendo a reivindicações de políticos do município de Miranda, e liderados pelo prefeito Manoel de Pinho, o governador de Mato Grosso, Dr. Arnaldo Estevão de Figueiredo, implantou em 1948 em terras do governo, na região da Serra da Bodoquena, ainda no Município de Miranda, uma colônia agrícola,ou seja, um assentamento de 40 mil hectares, com 859 lotes de aproximadamente 35 hectares cada. (Decreto governamental nº 547 de 30 de setembro de 1948).

Os primeiros colonos foram Francisco de Paula Chagas (Chico Mineiro), Francisco Maciel e Alfredo Pedro de Araújo que chegaram aqui por volta de 1948. Para chegar até a colônia, os colonos tinham que andar 55km de trilha que ligava a colônia ao município de Miranda, essa trilha ficou conhecida como Trilha dos Caminheiros da Fé, por causa das dificuldades que os colonos encontravam ao atravessar a mata, morros e pântanos e em épocas de cheias era quase impossível atravessar o rio Miranda.

Mais tarde formou-se um povoado com o nome de Vila da Amizade, onde começaram a surgir os primeiros estabelecimentos comerciais, na maioria, pequenos bolichos e butecos. Sendo assim, no dia 14 de dezembro de 1963, o governador do então Estado de Mato Grosso, Dr. Fernando Correa da Costa assinou a Lei Estadual nº. 2.079 criando o Distrito Dr. Arnaldo Estevão de Figueiredo, no município de Miranda, que popularmente ficou conhecido por Distrito do Campão, por ser uma grande área de campo com pastagens nativas.

A cada dia mais famílias invadiam as terras, que eram de propriedade do Sr.Cristóvão de Albuquerque (Faz. Perseverança). Posteriormente, a área foi adquirida pela Prefeitura de Miranda, compreendendo as seguintes áreas: Campão, Campina do Cágado, parte da Faz. Perseverança e Mata Grande.

Em 1958, Yosio Okaneko, residente em Campo Grande, a convite dos colonos Francisco A. de Souza e Francisco de Assis Pina, se instalou no distrito Dr. Arnaldo Estevão de Figueiredo para exercer a função de "médico", pois a saúde naquela época era precária. Okaneko estudou medicina no Japão e antes de concluir o curso mudou-se para o Brasil. A colônia naquela época era alvo de várias epidemias como por exemplo: malária, febre tifóide, 'ferida brava', etc. A atuação de Okaneko foi de grande importância, o que lher rendeu grande popularidade.

O Distrito Dr. Arnaldo Estevão de Figueiredo desenvolveu-se rapidamente com o crescimento do comércio e indústrias ativas, além da produção agropecuária que rendia para os cofres públicos do Município de Miranda uma considerável soma em impostos pagos. Reconhecendo os valores contribuídos e os serviços prestados ao Distrito, os colonos começaram a se sentir lesados, surgindo então a idéia de emancipação.

Porém, era preciso criar um plebiscito ou uma comissão para iniciar o processo de emancipação política e administrativa do Distrito de Campão. E a partir de 1979, Leônidas Alves dos Santos — vereador eleito em Miranda para representar esta região —, juntamente com Marculino Penajo Flores e Irineu Okaneko criou uma comissão para emancipar Campão. Essa comissão era composta por: Percival Mendes Barros, Milton Muniz, Shizuo Yamada, José Muniz de Ornelas, José Antônio Moreira, Jesus Bandeira, Olavo Ladislau, Venâncio de Freitas Pedrosa e Elpídio José Roque de Carvalho.

Mas em 13 de maio de 1980, o povo do então Distrito do Campão foi surpreendido pelo governador da época, Marcelo Miranda Soares, que publicou no Diário Oficial MS nº338 a Lei Estadual nº87 de 13 de maio de 1980 que tratava da criação do município de Bodoquena, palavra que, em tupi-guarani, significa "nascente em cima da serra".

Após a criação de Bodoquena, restava somente a instalação institucional, que só aconteceu no no ano seguinte, já no governo do Dr. Pedro Pedrossian, que empossou como administrador municipal, o ex-vereador de Miranda Elpídio José Roque de Carvalho (de 18/06/81 a 11/02/82).

Para concorrer à primeira eleição o prefeito de Bodoquena, Elpídio se afastou e, no seu lugar, foi nomeado Irineu Okaneko (de 12/02/82 a 31/01/83). No dia 1º de fevereiro de 1983, José Antônio Moreira assumiu a Prefeitura de Bodoquena como primeiro prefeito eleito e tinha como vice o senhor Jesus Bandeira. Com o falecimento de José Antonio Moreira, em 23/01/87, Bandeira assumiu o mandato, ficando a frente da prefeitura até 04/07/88. Mas, para concorrer às eleições da época, Jesus Bandeira também se afastou e, no seu lugar, foi empossada a então presidente da Câmara Municipal a Amélia Guiomar Mendes Bentos (de 05/07/88 a 31/12/88).

 

LOCALIZAÇÃO

 O município de Bodoquena localiza-se na região sudoeste do estado de Mato Grosso do Sul, a 269 km de Campo Grande, capital do Estado, na micro-região 09, Região da Serra da Bodoquena.

 - Latitude: 20°33'03"S

 - Longitude: 56°40'03"W

 - Altitude: entre 200 e 400 metros

 - Área total: 2.514,30 km²

 

Limites

- Miranda e Corumbá (Norte);

- Bonito e Porto Murtinho (Sul);

- Miranda e Bonito (Leste) e

- Porto Murtinho (Oeste).

 

Acesso

O acesso à cidade, a partir de Campo Grande, é feito através da BR-262 (rodovia pavimentada) até Miranda, à qual está ligada pela rodovia MS-339, também pavimentada. Outra alternativa, proveniente de Bonito, é a MS-178 (não pavimentada), com distância de 70 Km.

 

Distâncias

- Campo Grande: 251 km (rod. BR-262 e MS-339)

- Miranda: 57 km (rod. MS-339)

- Aquidauana: 131 km (rod. BR-262 e MS-339)

- Bonito: 72 km (rod. MS-178)

- Jardim: 127 km (rod. MS-178)

 

INFRA-ESTRUTURA

Transportes

O município é servido por duas empresas de transporte intermunicipal:

- Expresso Mato Grosso: liga Bodoquena a Miranda, Anastácio, Aquidauana, Dois Irmãos do Buriti, Terenos, Indubrasil e Campo Grande

- Expresso Cruzeiro do Sul: liga Bodoquena a Bonito, Jardim, Miranda e Corumbá.

- Dentro do perímetro urbano, existem serviços de taxi e moto-táxi.

 

Saúde

- O município possui um hospital com 23 leitos, 05 médicos, especialistas em clinica geral, pediatria e ginecologista, 02 enfermeiras padrão e 01 bioquímico. Possui ultra-som, aparelho de raio-x, 01 centro cirúrgico e 06 ambulâncias. 

- 01 unidade móvel de atendimento para área rural: ônibus equipado com consultório odontológico e atendimento de consultas e equipamentos mínimos necessários para primeiros atendimentos de emergência como (curativos, balão de oxigênio, etc).

- Nos casos mais graves, os pacientes são transportados até Aquidauana ou Campo Grande, dependendo da situação. Possui também um Centro de Saúde que funciona das 07h às 17h. A Fundação Nacional de Saúde trabalha em parcerias com a Prefeitura na prevenção, no combate e na erradicação de doenças tropicais como a dengue e a leishmaniose.

- A área da saúde conta ainda com um Departamento de Vigilância Sanitária, cuja equipe é formada por uma veterinária e agentes comunitários de saúde que fazem atendimento domiciliar.

- O município conta também com 03 postos rurais de saúde: PS São José (Morraria), PS Canaã e PS Sumatra, que prestam atendimento à população local.

- No Centro de Saúde Municipal, além do atendimento realizado pelos médicos, há também duas dentistas que, além do trabalho diário no município, realizam atendimento nos assentamentos, distrito e colônias.

 

Abastecimento de Água

- O órgão responsável pelo abastecimento de água é a SANESUL - Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul. O armazenamento é feito em dois reservatórios sendo um com 150m³ e outro com 50m³, no distrito de Morraria do Sul através de um reservatório de 50m³, sofrendo tratamento de cloro e outros produtos químicos.

Na área urbana existem cerca de 1.411 ligações sendo todas ativas e no distrito de Morraria do Sul atende aproximadamente 155 ligações. Na zona rural o atendimento não é feito por esta empresa e a água é coleta em poços semi-artesianos, córregos, poços rasos e profundos.

A cobertura na área urbana corresponde em torno de 90%, cerca de 20% na zona rural é servido de poços semi-artesianos caseiros.

 

Limpeza Pública

O município é assistido duas vezes por semana nos bairros, vilas e no centro pelo serviço público de coleta de lixo doméstico. A sua destinação final é em lixão a céu aberto.

O sistema de coleta é realizado por caminhão compactador de lixo e o montante recolhido atinge diariamente em torno de 14 toneladas e sendo destinado ao lixão distante 07Km do centro da cidade. O local não tem Licenciamento Ambiental para operação, há uma necessidade de implantação de procedimentos voltados à preservação ambiental.

Quanto ao lixo hospitalar, o município não possui coleta pública específica, sendo o mesmo incinerado no próprio hospital.

 

Fornecimento de Energia

O fornecimento de energia elétrica é feito através da empresa Energisa Mato Grosso do Sul - Distr. de Energia S.A., que atende cerca de 1.411 famílias na zona urbana e 239 na zona rural, correspondendo à cobertura de 95% urbana e 18% rural.

 

Comunicação

A comunicação é feita através das empresas de: correios e telégrafos, telefones convencionais e celulares urbano e rural, rádio, jornal e televisão.

O município possui uma agencia de correios e telégrafos, que funciona de segunda a sexta das 09h às 16h.

O município possui uma Casa Lotérica.

O serviço telefônico e internet é feito pela Oi S.A. A telefonia celular é executada através das empresas VIVO, CLARO BRT, e TIM.

Há um Jornal impresso no município, o Jornal Aqui é Destaque com circulação quinzenal, mas circulam na cidade outros jornais como Jornal da Cidade e Guaicuru ambos da cidade de Miranda, Correio do Estado (Campo Grande), Diário do Povo (Dourados), Tribuna Popular (Jardim), Jornal Estado do Pantanal (Guia Lopes da Laguna) e Gazeta do Pantanal (Miranda).

Possui uma emissora de rádio a FM Comunitária Serra da Bodoquena.

Atualmente conta somente com uma TV com transmissão do estado, a TV Morena as outras emissoras somente através de antena parabólica.